Morre o ator e diretor Henrique Martins

Artista faleceu aos 84 anos, por falência múltipla de órgãos

Morreu neste domingo, 26, aos 84 anos, o ator e diretor Henrique Martins. Após cair em casa e quebrar duas costelas, o ator foi internado no Hospital Samaritano, em São Paulo. Deixou a UTI, mas faleceu pouco tempo depois por falência múltipla de órgãos.

Henrique Martins era o nome artístico de Heinz Schlesinger, nascido em Berlim em 28 de agosto de 1933. Ele veio com três anos de idade para o Brasil com os pais, que era costureiro. Heinz o ajudava em seu ateliê. Por insistência da mãe, começou a fazer testes para atuar em novelas de rádio.

Trabalhando por mais de 60 anos, Henrique esteve em dezenas de produções na televisão, na Tupi, Excelsior, Globo, Record, Band, Manchete e SBT. Ele é uma figura emblemática na consolidação da teledramaturgia brasileira, como ator e diretor, à frente de grandes novelas ou dirigindo áreas de novelas e teleteatro.

Seu último trabalho na TV como diretor foi em "Revelação" (2008), de Íris Abravanel, no SBT. Como ator, sua última participação foi no remake de "Carrossel", na mesma emissora.

Sua carreira é pontuada por muitos momentos destacáveis. Estreou em 1952 na novela juvenil “Os Anjos Não Tem Cor”, exibida ao vivo às terças e quintas, na faixa das 20h30 pela Tupi Paulista. A história fez sucesso na época. Entre os inúmeros trabalhos dessa fase ao vivo, um deles foi “Capitão Estrela”, onde Henrique vivia o herói titular da série.

Anos mais tarde, em 1966, Henrique protagonizou "O Sheik de Agadir", primeira novela de sucesso da recém-inaugurada TV Globo, uma adaptação extravagante de Glória Magadan, dos personagens do romance "Taras Bulba", de Nicolai Gógol. As gravações aconteceram nas dunas de Cabo Frio, que na magia da tv foram transformadas em deserto do Saara.

Na Band, Henrique Martins dirigiu, em 1979, a novela "O Todo Poderoso", onde também atuou. Dirigiu depois "Cavalo Amarelo" e “Dulcinéa Vai à Guerra” em 1980, "Os Imigrantes" em 1981-82 e "Campeão" em 1982. Em 1998, dirigiu a segunda versão da Band para a novela "Meu Pé de Laranja Lima". Em 1999, dirigiu a série “As Aventuras de Tiazinha”.

Era carinhosamente chamado de “Alemão” por todos os seus colegas.

O velório será nesta segunda-feira, 27, das 9h às 11h no Cemitério Israelita, no Butantã, zona oeste de São Paulo. O enterro será no mesmo local.

Compartilhar

Deixe seu comentário