Exposições se despedem no Bispo do Rosário

“Um Canto, Dois Sertões” conta sobre a vida do artista que dá nome ao museu de arte contemporânea

Terminam neste sábado (27) as exposições “Um Canto, Dois Sertões: Bispo do Rosário e os 90 Anos da Colônia Juliano Moreira” e “O Museu Que Nós Queremos” do Museu do Bispo do Rosário de Arte Contemporânea, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

Com 150 peças criadas por Arthur Bispo do Rosário e outras 50 de dez artistas convidados, a exposição sobre os 90 anos da Colônia se despede após homenagear  lugares onde o artista viveu.

De acordo com o curador da exposição, Marcelo Campos, a vontade era de trazer os dois lugares distintos onde Bispo morou, Jacarepaguá e Japaratuba, em Sergipe, como dois sertões. Após uma ampla pesquisa desenvolvida, a mostra aponta a importância cultural desses lugares para o artista.

- É clara a relação de Bispo com a cultura popular. Os adornos e adereços, como, fitas, espelhos, mantos, uniformes, presentes em sua obra, estão mais do que misturados às atividades folclóricas de Sergipe - afirma Marcelo.

A exposição está dividida em três núcleos principais: o nascimento, a colônia,e os mundos inventados por ele. Segundo o curador do Museu, Ricardo Resende, é a primeira vez que é feito um estudo e uma exposição que contextualiza a obra do Arthur Bispo do Rosário nos seus dois universos constituintes.

Não menos importante, a exposição “O Museu Que Nós Queremos” também se despede neste final de semana. A mostra conta com obras produzidas por alunos de quatro escolas municipais da região de Jacarepaguá.

Todos os trabalhos criados pelos estudantes são frutos do projeto de aprofundamento da Ação Educativa do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea. Desenvolvido ao longo de seis meses, o projeto levou os alunos para visitar outros centros culturais da cidade e realizou encontros para a criação de projetos autorais e, com os professores, encontros de formação e debate em arte e educação.

As ações foram inspiradas nos conceitos de “museu imaginário”, de André Malraux, autor de uma teoria sobre percepção e acessibilidade dos públicos às obras de arte, propondo através das reproduções uma espécie de museu virtual.

As exposições estão no Museu do Bispo do Rosário de Arte Contemporânea, na Estrada Rodrigues Caldas, 3.400, Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá. O museu funciona de terça a domingo, das 10h às 17h, e a entrada é franca.

Compartilhar