Bob Dylan rasga elogios a Elis Regina

Pai da folk music, Bob Dylan não poupou elogios ao falar sobre a brasileiríssima Elis Regina em seu programa de rádio, no ar desde 2006 via satélite e retransmitido pela BBC 6 Music.

Antes de soltar a versão que a pimentinha fez para Aquarela do Brasil (Ary Barroso), intercalando a música com Nega do Cabelo Duro (David Nasser e Rubens Soares), Dylan apresentou uma pequena biografia do Brasil, explicando que por aqui não se fala espanhol, mas sim português, e que somos o maior país da América Latina.

Após o término da música, Dylan apresentou outra mini-biografia; agora, da própria Elis. Disse que ela começou a cantar aos 12 anos de idade, e que aos 21 já era uma das cantoras mais bem pagas do Brasil.

Mencionou também o Festival De Música Popular Brasileira de 1965, quando a performance de Arrastão (Vinicius de Moreas e Edu Lobo) que Elis apresentou, além de ter lhe dado o primeiro lugar no concurso, foi quase censurada pelo governo militar.

No fim, explicou a morte de Elis, aos 36 anos, vítima de uma overdose de cocaína, tranqüilizantes e álcool. "A pimentinha foi para o paraíso", terminou saudoso.

Compartilhar