quarta-feira, 30 de outubro de 2019 - 10h53 / Atualizado em quinta-feira, 31 de outubro de 2019 - 19h44

Miss Universo 2018 fala do fim de seu reinado e dá dicas para representante brasileira

Filipina passará o título de mulher mais bela do mundo no dia 8 de dezembro, nos Estados Unidos

Catriona Gray se prepara para passar a coroa de Miss Universo Foto: Amorn Pitayanant/Miss Universe

| entretenimento@band.com.br

Catriona Gray, Miss Universo 2018, fez uma rápida passagem pelo Brasil na semana passada para visitar crianças com fissura labiopalatina assistidas pela Smile Train, uma instituição filantrópica que busca recursos para oferecer cirurgias gratuitas a este tipo de pacientes.

Durante sua estadia em São Paulo, a filipina conversou com exclusividade com o Portal da Band sobre a reta final de seu reinado. Segundo ela, desde que foi eleita a mulher mais bela do mundo, em dezembro do ano passado, seu cotidiano mudou completamente. Além de passar a morar em Nova York, nos Estados Unidos, Catriona teve a oportunidade de conhecer vários países - esta foi a primeira vez que ela esteve na América Latina - e se envolver ainda mais em causas sociais. "Minha vida nunca mais será a mesma. Foi um ano muito empolgante, mas não fico triste de passar a coroa porque para mim é um privilégio saber que depois disso a vida de outra pessoa será transformada", declarou.

Por conta de compromissos pré-agendados, ela não conseguiu conhecer a Miss Brasil Júlia Horta, que aterrissou em Nova York pouco antes dela desembarcar em São Paulo. Apesar disso, a modelo revelou que acompanha as ações da mineira pela internet. "Me sinto muito feliz em saber que a Júlia é engajada em causas sociais, mas como não a conheço pessoalmente estou julgando só pelo o que vejo online", explicou.

"Adoro ver quando mulheres fortes usam as plataformas que têm nas mãos para promover boas causas. E gosto muito de ver a paixão dos brasileiros pela Júlia também. Uma das coisas mais importantes desse concurso de beleza é que ele une um país inteiro. Ficamos juntos e celebramos em nome de uma só candidata e isso é sensacional", declarou.

No dia 8 de dezembro deste ano, a brasileira tentará quebrar um jejum de 51 anos sem trazer a coroa mundial para o país - a última a conquistar o título foi a baiana Martha Vasconcellos, em 1968. Antes dela, em 1963, Iêda Maria Vargas, do Rio Grande do Sul, garantiu a primeira vitória do Brasil na disputa mundial.

Ao ser questionada que dicas poderia dar para a concorrente nacional, Catriona foi enfática. "É um momento muito especial e não importa o quão sensacional você se apresente. Se está no seu destino, vai acontecer. Vários fatores contribuem para a conquista da coroa. Depende dos jurados, do look, da postura naquele dia, mas se ela curtir, se der o seu melhor, ela pode, sim, sair vitoriosa. Das 95 candidatas, apenas uma vai levar a coroa, por isso eu acredito que não é só uma competição entre mulheres; é algo muito maior", enfatizou.

"Se eu pudesse dizer alguma coisa para a Júlia, falaria: "Aproveite enquanto você estiver lá e lembre-se que seu país está com você", concluiu.

A grande final do Miss Universo 2019 será realizada no dia 8 de dezembro, nos Estados Unidos, com transmissão da Band e do Portal da emissora.

Veja a visita de Catriona a pontos turísticos de São Paulo: