segunda-feira, 17 de dezembro de 2018 - 09h00 / Atualizado em segunda-feira, 17 de dezembro de 2018 - 11h20

Brasileira Mayra Dias faz balanço de sua participação no Miss Universo 2018

Aos 27 anos, a jornalista amazonense conseguiu conquistar vaga entre as 20 mulheres mais belas do planeta

Mayra Dias ficou no top 20 do Miss Universo Foto: Ralph Smith/Miss Universe

| entretenimento@band.com.br

Depois de passar 20 dias confinada na Tailândia para o Miss Universo, Mayra Dias conversou com o Portal da Band por meio de um aplicativo de mensagens e falou sobre a experiência que viveu nos últimos dias.

Segundo a Miss Brasil BE Emotion, ela deixou a competição com a sensação de dever cumprido, já que garante ter dado o melhor de si na disputa. "A possibilidade de carregar junto comigo toda uma nação é a melhor coisa que vou levar comigo. Por onde passei, eu era chamada de 'Brazil' e isso foi motivo de muito orgulho e uma felicidade enorme", afirmou. "A oportunidade de fazer tantas amizades, conhecer novas culturas e poder divulgar o meu país para o mundo foram os aspectos mais marcantes para mim", disse ainda.

Em uma disputa acirrada com outras 93 candidatas, a amazonense ficou entre as 20 mulheres mais belas do mundo, mas deixou o sonho da coroa para trás quando conseguiu avançar para o Top 10. O Brasil não vence o concurso desde 1968. Apesar disso, a palavra frustração passa longe do vocabulário da beldade. "Foram dias de muito aprendizado e a certeza que devemos lutar pelos nossos sonhos e objetivos. Nesses dias, aprendi a respeitar e a conviver com as diferenças, já que éramos mulheres de todos os cantos do planeta e cada uma tinha suas particularidades. A cada dia aprendi algo novo e isso é enriquecedor", ressaltou.

Natural de Itacoatiara, município localizado a 271 km de distância de Manaus, Mayra tem 27 anos, é formada em Jornalismo, pós-graduada em Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais, e foi a segunda amazonense a chegar ao Miss Universo. Para o futuro, ela pretende continuar abraçando a bandeira da preservação da Amazônia, além de dar continuidade aos projetos ambientais dos quais faz parte.

Já a vencedora, a filipina Catriona Gray, deve passar a morar em Nova York, nos Estados Unidos, para ficar à disposição do Miss Universo.

Relembre a passagem da brasileira pelo concurso mundial: