sexta-feira, 27 de maio de 2016 - 11h12 / Atualizado em sábado, 28 de maio de 2016 - 10h30

Por coroa, miss fez vaquinha na cidade

“Saí pedindo ajuda financeira no comércio e quase todas as roupas que eu trouxe são emprestadas”, diz a estudante Sabrina de Paiva

A Miss Caconde, Sabrina de Paiva, no desfile de biquíni Foto: Lucas Ismael/BE Emotion

| entretenimento@band.com.br

A Miss Caconde, Sabrina de Paiva, chegou ao Miss São Paulo BE Emotion 2016 com a ajuda da pequena cidade onde vive. Assim que foi aprovada na seletiva do concurso estadual, no início de maio, ela escreveu um “livro de ouro”, contando sobre o concurso e detalhando a necessidade de patrocínio.

“Fui a todas as lojas pedindo ajuda. Em algumas, me senti desvalorizada, mas recebi muito apoio também”, conta a candidata de 20 anos, que está no primeiro período da faculdade de publicidade e propaganda e se divide entre três cidades – mora em Caconde, trabalha em São José do Rio Pardo e estuda em Guaxupé.

A maior quantia doada foi R$ 500, a menor, uma nota de R$ 5. Para conseguir o restante do valor, ela fez um empréstimo com um amigo.

O segundo capítulo da saga foi montar as malas para o confinamento. Mais uma vez, o comércio local a ajudou. “Saí pedindo pares de sapato ou descontos”, diz. “Um lojista contava para o outro, as pessoas postavam no Facebook. A cidade ficou muito unida”.

No fim, ela conseguiu trazer duas malas com roupas, calçados e acessórios. “A maioria das peças que trouxe não é minha. É tudo emprestado. Meu mesmo só um par de tênis, que consegui com um patrocinador, e maquiagem. E tem também uma legging, que um tio me ajudou a comprar. Essa bolsa aqui [da marca de luxo Louis Vuitton] é de uma amiga”, conta.

Para ela, a experiência do confinamento tem sido incomum. “Nunca tinha ficado em um hotel chique assim [as candidatas estão hospedadas no Hilton São Paulo Morumbi]. Ninguém nunca tirou o prato da mesa para mim ou me serviu suco. Eu levantava e pegava”, afirma. “Tem hora em que não acredito. Falo ‘calma, Sabrina’”.

Nesta edição, o concurso conta com duas candidatas negras, o que alegra a Miss Caconde. “Fiquei superfeliz quando vi a Miss Indaiatuba”. Ela afirma que está satisfeita com a seleção deste ano, que abraça mulheres de padrões diferentes. “Tem magrinhas, curvilíneas, morenas, loiras e negras. Para uma menina que está começando a vida, é bom poder se identificar de algum modo”.

A estudante almeja o top 5 justamente por essa razão. “Se eu ganhar, será maravilhoso. Mas ficar entre as cinco já vai ser muito bom pela visibilidade e vai promover identificação com a população negra”.

Marcado para o sábado, dia 28, às 22h15, o Miss SP BE Emotion será transmitido ao vivo, com exclusividade, pela Band e o band.com.br. Vote aqui na sua candidata favorita. Você pode colocá-la no top 15.