terça-feira, 17 de novembro de 2015 - 20h02 / Atualizado em terça-feira, 17 de novembro de 2015 - 14h05

Miss RS não tem medo de ser polêmica

Com educação, você pode dizer tudo o que pensa, diz Marthina Brandt

Marthina Brandt, Miss Rio Grande do Sul, no desfile de biquíni para o júri técnico Foto: Lucas Ismael/Band

| entretenimento@band.com.br

O modelo de miss quietinha, que guarda qualquer opinião para si mesma e procura sempre agradar não faz o tipo de Marthina Brandt, Miss Rio Grande do Sul 2015. Ela faz questão de dizer o que pensa – "acho padrão um saco", diz – e entrega algumas estratégias adotadas durante o confinamento, mudando um pouco a percepção de que todas as candidatas são amigas e ajudam umas às outras.

"Existem misses que dizem algo negativo para desestabilizar as concorrentes, aquelas que não se soltam nos ensaios e são completamente diferentes no dia", revela. "Tem as que se dão bem com todo mundo e aquelas que só falam com você para pedir alguma coisa".

Entre todos esses comportamentos o que mais a incomoda é a falta de educação – "tem gente que nem dá bom dia e está passando a semana inteira com você" – e  o excesso de autoconfiança. "Uma coisa é ser segura, outra é não ter humildade. Acho chato quando as pessoas agem assim".

Marthina compete pelo Estado que mais levou misses ao Miss Universo e tem uma receita para não deixar o sucesso subir à cabeça: competir por prazer. "Se você gosta do que faz, você vai fazer isso muito bem e vai conseguir passar isso para as pessoas. O foco deve ser esse".

A gaúcha promete ser verdadeira caso chegue ao top 5 do Miss Brasil, repetindo o que fez no concurso estadual. Ela gostaria que o tema da pergunta dos jurados tivesse a ver com política, por conta do momento delicado pelo qual passa o país.

"Fico muito triste. Falta gestão. Está na hora de parar de dar cargos por amizade, tem que avaliar a competência". Marthina compara o Brasil aos outros sete países onde viveu trabalhando como modelo e acha que estamos muito aquém. "Na Itália, fui tratada muito bem pelo serviço de saúde pública. Aqui você fica horas na fila. E não investem em educação, porque querem um povo ignorante".

Marthina chegou ao Miss Brasil 2015 após tentar em 2012 e nem ficar entre as finalistas. "Mas quanto mais falam mal, mais vontade eu tenho. É como se fosse um combustível", conta. "Parei de trabalhar [como modelo] para me dedicar totalmente. Economizava muito, porque queria realmente estar preparada. Voltei e venci".

O concurso

O Miss Brasil será realizado na próxima quarta-feira, dia 18, no Citibank Hall, em São Paulo. O evento será transmitido pela Band e pelo band.com.br a partir das 22h30.