Responsabilidade tremenda, diz Rodrigo Oliveira

Chef de cozinha ajudou Erick Jacquin e Paola Carosella a escolherem o segundo finalista

Com a ausência de Henrique Fogaça devido a uma cólica renal, o chef de cozinha Rodrigo Oliveira, do restaurante Mocotó, foi convidado para ajudar os jurados Erick Jacquin e Paola Carosella a escolherem quem seria o segundo finalista da terceira temporada do MasterChef Profissionais.

"Foi uma responsabilidade tremenda. A gente sabe o que significa estar em uma final do MasterChef para qualquer cozinheiro. E, numa final com esse nível técnico, foi uma responsabilidade dobrada. O que definiu o vencedor foi o detalhe, a minúcia", disse em entrevista ao Portal da Band.

"Foi ' um grão, um grau, um segundo'. Isso que faz um cozinheiro se destacar. O que a gente viu foi uma prova linda, com dois belos desempenhos e eu estou honrado de fazer parte disso", completou o chef, que ainda teceu elogios à postura de Willian Peters na cozinha em um momento de desespero.

"Olha, o Willian teve sangue frio em um momento crítico. A peça principal, do prato principal, estava dando muito errado. Ele conseguiu reverter e é isso que eu tento ensinar para os meus meninos e meninas no meu restaurante. A gente deve manter a mente serena para controlar o caos", afirmou.

"Só assim você consegue superar as adversidades que vão vir todos os dias, até o último dia que você estiver na cozinha. Você vai lidar sempre com essas surpresas. Algumas boas, outras nem tanto, mas isso faz parte da rotina de qualquer cozinheiro", finalizou.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário