Churrasco é a alma do brasileiro, diz André

Curitibano revelou sua estratégia na hora de escolher duas pessoas para trabalhar com ele

A equipe formada por André Pionteke, Manoela Lebron e Willian Petters agradou os jurados em três rounds e garantiu mais uma semana no MasterChef Profissionais. Responsável por juntar os três participantes na equipe vermelha, o chef de cozinha curitibano revelou qual foi sua estratégia para definir o melhor time.

"Quando eu entrei na cozinha, vi que a prova era de churrasco. Eu tenho um bom conhecimento de carne de porco, só que não manjo muito de carne bovina, em relação a desossa. A Manu, como ela vem de Minas e viveu a infância na rota, lidou com carne de boi. E o Willian, como trabalhou na Espanha, tem muitos contatos com frutos do mar", explicou em entrevista ao Portal da Band.

"O Will também já trabalhou em açougue e tem um bom conhecimento em carne de porco. Eu tenho conhecimento 'ok' em frutos do mar e em peixe. Tenho bom conhecimento em carne de porco. E a Manu vinha justamente para agregar conhecimento em carne e construção de sabor. Porque churrasco nada mais é que a alma do brasileiro e Minas Gerais é o berço da gastronomia Brasileira", continuou.

"Então, optei por eles pela construção de sabor e de equilíbrio de técnicas. São dois cozinheiros muito fortes. Também imaginava que a gente teria que trabalhar com técnica e corte, porque aquele pedaço de carne tinha inúmeras possibilidades. Nossa estratégia foi analisar visualmente muito bem os pedaços que os jurados nos mostraram, decorando os detalhes das carnes, dos músculos e o desenho", completou.

No segundo round, quando os cozinheiros tiveram de ir para a churrasqueira preparar um churrasco brasileiro, André acabou se surpreendendo com um integrante do time. "Eu descobri que a Manu trabalhou três anos como parrilheira. Então, ela ficou mais focada na carne, mas a gente foi supervisionando também. Eu fiquei responsável pela farofa e o Willian ficou responsável pelo vinagrete", disse.

"Só que cada um fez ajustes para que a parte do outro ficasse perfeita. Eu fiz parte da farofa, a Manu fez outra e a gente completou. Chegamos num sabor que foi muito elogiado pelos chefs. O vinagrete do Willian faltava um pouquinho de açúcar, porque estava muito amargo e ácido. Então, foi bem divididas as tarefas, só que não foi nada imposto. Foi um bom trabalho em equipe, acho que o melhor até hoje", concluiu.

Com a terceira vitória consecutiva ao preparar um porter house, o trio garantiu o mezanino e mais uma semana no MasterChef Profissionais. "Foi muito bom, né? Uma porque a minha escolha intuitiva deu certo. Eu segui o instinto, não pensei muito. A vitória não tira o mérito dos outros participantes, mas fizemos um trabalho muito sério e um trabalho sério gera resultados positivos", afirmou.

"Todo mundo estava focado, todo mundo estava com os ouvidos abertos em relação às críticas. Acho que isso foi o que mais deixou a gente contente. A união que tivemos na forma de pensar e de agir. Foram três cabeças juntas fazendo um preparo só, um prato só. Isso que foi essencial. Não teve ego, todo mundo foi humilde e não teve birra. O papo reto e sincero foi essencial para a vitória", finalizou.

Cozinheiros precisam mostrar que entendem de churrasco; veja fotos

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário