11 “vilões” mais amados do MasterChef Brasil

Polêmicos, cozinheiros movimentaram a cozinha mais famosa do mundo e causaram durante as gravações


Nem tudo são flores na cozinha mais famosa do mundo. Com gravações intensas, o MasterChef Brasil protagonizou algumas brigas e teve sua cota de “vilões” – que foram amados e odiados, nem sempre na mesma medida, pelo público.

Momento MasterChef Brasil: nova temporada estreia dia 14/07

Logo na segunda temporada com cozinheiros amadores, Fernando Kawasaki foi criticado pelo público pela sua teimosia. "A gente não trabalha temperamento antes de entrar aqui. Então, quando você está aqui dentro, você pensa em competição e se exalta", disse à época da sua eliminação em 2015.

Na segunda temporada, a vice-campeã Bruna Chaves ganhou a simpatia dos outros competidores, mas viu o público torcer – em peso – para Leonardo Young. Outro vice-campeão que também foi rejeitado pelos telespectadores foi Marcelo Verde, na temporada do MasterChef Profissionais que está em exibição na tela da Band.

A temporada teve ainda outros dois "embustes". João Lima foi considerado prepotente, principalmente após chamar Ana Paula padrão de leiga. Já Ivo Lopes foi acusado de machismo após mandar a participante Dayse Paparoto pegar uma vassoura e limpar a cozinha.

Em 2017, o MasterChef Brasil teve dois grandes estrategistas: Leonardo Santos e Deborah Werneck. O até então publicitário sofreu um episódio de racismo nas redes sociais e defendeu seu posicionamento no jogo. "Tudo [que sofri durante a vida] contribuiu para a postura que eu adoto hoje", explicou.

Por sua vez, Deborah foi considerada falsa e prepotente devido às suas opiniões ácidas sobre os colegas. "Fico indignada como as pessoas querem criticar as outras, falar de caráter sem estar lá dentro. Em nenhum momento eu me deixei abalar por insegurança ou um medo", disse nas redes sociais. A cirurgiã-dentista Mirian Cobre também foi bastante criticada pelo público, assim como o vice-campeão da edição com cozinheiros profissionais, Francisco Pinheiro.

Na edição de 2018, a vitória de Maria Antonia Russi sobre Hugo Merchan causou controvérsias. "Sou uma mulher muito forte e de opiniões muito fortes. Não sou agressiva, mas tenho opiniões formadas e isso incomoda", disse depois de conquistar o troféu. Na mesma temporada, a professora Eliane Ribeiro também não caiu no gosto dos telespectadores, que a achavam irritante.

Para completar a lista, o professor Thales Alves irritou os fãs de MasterChef Profissionais ao revelar sua estratégia para fazer os outros cozinheiros gastarem mais tempo para comprar proteínas no episódio do leilão. Porém, sua história como homem transexual comoveu a muitos telespectadores, principalmente quando ele revelou que havia voltado a falar com a sua mãe após aparecer na televisão.

A lista de "vilões" do programa com certeza não para nestes nomes e, é claro, que a nova temporada do MasterChef Brasil terá a sua cota de embustes. Anota aí: o talent show volta à tela da Band no próximo dia 14 de julho, às 22h45, com apresentação de Ana Paula Padrão e com os jurados Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário