A gente sabe que na próxima vem bomba, diz Janaína

Taróloga revela porque não queria de ter vencido a primeira prova de eliminação do MasterChef Brasil

Ganhar uma prova do MasterChef Brasil é, muitas vezes, o objetivo dos participantes. Porém, a taróloga Janaína Caetano surpreendeu ao falar que gostaria de não ter vencido o desafio eliminatório exibido no último domingo, 7, ao apresentar um delicioso nhoque de abóbora com ragu de músculo para os jurados.

"É um peso que eu acho que eu não queria carregar logo de cara, porque é muita responsabilidade. A gente sabe que na próxima prova bem bomba. Provavelmente é uma prova externa e, provavelmente, eu vou ser líder de um grupo. E eu não sei como é que eu vou lidar com as pessoas", explicou em entrevista ao Portal da Band.

"Quando eu fico muito nervosa, quando as coisas dão errado, eu falo alto, eu falo palavrão e eu grito com as pessoas. Então vai ser um grande desafio para mim passar por isso, saber me controlar e saber que cada um tem seu potencial. Todo mundo que está aqui sabe cozinhar. Então, eu vou ter que ser fria e inteligente o suficiente para explorar a habilidade e a especialidade de cada um, de forma positiva", completou.

Mesmo preocupada com o futuro na competição, Janaína contou que também ficou feliz de ganhar o desafio, apesar da insegurança inicial. "Eu estava preocupada porque era uma prova de eliminação. Quem errou, está fora. Então, dá uma preocupação. Optei por fazer um nhoque de abóbora porque o [Henrique] Fogaça deu aquela aula maravilhosa e eu mexo muito bem com abóbora", contou.

"Eu aprendi realmente como se faz um nhoque de abóbora ali. Porque uma vez eu tentei fazer em casa, meti farinha dentro e misturei. Ficou uma porcaria, não prestou. Já o ragu eu costumo fazer de forma diferente: pegar um pedaço inteiro de carne, dourar um pouquinho de todos os lados e meter tudo na panela, com tomates e temperos. Quando você abre, a carne está desfiando. O que falta desfiar, você termina de desmanchar com um garfo. E deixa aquilo curtindo no molho", explicou.

"Só que isso demora horas para fazer e não tinha esse pedaço grande de carne. Então, eu resolvi fazer o músculo. Eu já tinha comido músculo, mas nunca tinha feito. Não tem muito que acertar ponto da carne porque ela está ali na panela de pressão, cheia de molho, cheia de caldo. Se você faz bem temperado, vai funcionar. Mas eu coloquei muito vinho. Então, eu piquei o resto do tomate muito rápido e fiz um molho, com alho, folha de louro e, quando terminei o ragu, misturei os dois para não ficar com gosto de vinho muito forte. O legal do ragu é aquele gosto bacana do tomate", continuou a taróloga.

Janaína estava confiante que não seria eliminada logo na primeira prova. "Eu experimentei tudo e falei: 'Acho que não vou embora'. Meu prato estava gostoso e, quando tem muita gente, tem pessoas que ficam desesperadas e erros podem acontecer. Se você faz um prato que está gostoso e muito provavelmente alguém iria fazer alguma besteira", disse.

"Só que as avaliações começaram e eu fui ficando. Era uma porrada atrás da outra. Eu estava tremendo atrás da minha bancada, desesperada. Eu olhava para o mezanino e minha mão tremia. Achei que tinha me ferrado. Fiquei muito emocionada com a avaliação dos jurados. Chorei tudo que eu não tinha chorado nas outras provas. Eu me segurei, mas dessa vez eu extravasei", finalizou.

Nhoque sem batata é o desafio da prova de eliminação; veja fotos

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário