Mancha Verde conquista primeiro título no Carnaval paulistano; Tucuruvi e Vai-Vai são rebaixadas

Agremiação campeã falou sobre escravidão, direito dos negros, das mulheres e intolerância religiosa

Com um total de 270 pontos, a escola de samba Mancha Verde conquista seu primeiro título do Carnaval paulistano. A agremiação contou no desfile a história da princesa africana Aqualtune através do enredo Oxalá, salve a princesa! A saga de uma guerreira negra.

A escola também falou sobre escravidão, o direito dos negros e das mulheres, além da intolerância religiosa. A Mancha Verde foi a terceira a entrar no Anhembi na madrugada de sábado, 2, no primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo.

Em 2018, a agremiação ficou em terceiro lugar atrás da então campeã Acadêmicos do Tatuapé e da vice-campeã Mocidade Alegre, por causa dos critérios de desempate.

A escola de samba, que foi criada a partir da torcida organizada do Palmeiras, colocou seus 3 mil componentes para retratar os abusos sofridos pelos negros africanos trazidos para o Brasil e obrigado a abandonar as suas religiões.

O carro abre-alas retratou as riquezas do Congo e de Oxalá, um dos orixás das religiões africanas. A bateria apareceu vestida de guerreiros africanos no sambódromo e inaugurou plataformas para elevarem os diretores, que regem os ritmistas, no recuo.

As 70 baianas representaram as sacerdotisas do continente, responsáveis pela proteção espiritual da princesa. Elas foram seguidas por uma ala com os colonizadores portugueses, que exploraram a África.

Nos carros, atores encenaram momentos de tortura e punição aos quais os escravos foram submetidos no Brasil. Na última alegoria, um enorme busto de ferro representava Zumbi dos Palmares – neto de Aqualtune. O busto será doado ao Museu Afro Brasil após o Carnaval.

Rebaixadas

As escolas de samba Acadêmicos do Tucuruvi e Vai-Vai ficaram nas duas últimas posições, com 269,2 e 268,8 pontos respectivamente. As duas agremiações foram rebaixadas para o Grupo de Acesso do Carnaval de São Paulo.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário