Apresentadores


Silvia Poppovic

Silvia Popovvic

Silvia Poppovic é um ícone da televisão – não é exagero dizer que foi precursora no Brasil de programas de debates sobre o comportamento humano. Quando a palavra feminismo ainda era novidade e “empoderamento” nem existia, a jornalista e apresentadora, já nos anos 1980 e 1990, dava voz a mulheres de todas as classes sociais, trazendo para a discussão temas sérios, delicados e pouco falados. “Sempre abordei assuntos de comportamento com profundidade. Gosto de gente, sou curiosa”, diz ela, que encantou gerações com sua inteligência, firmeza e capacidade de entender e fazer pensar. Silvia está de volta agora à frente do “Aqui na Band”, programa que comandará ao vivo, de segunda à sexta, das 9h às 11h, ao lado de Luís Ernesto Lacombe e de um time de consultores das mais variadas áreas.

Conheça a seguir fatos e curiosidades sobre uma das mulheres mais admiradas e queridas da TV brasileira que não cansa de se reinventar.

1. De volta à Band

Com passagens pelas mais importantes emissoras do país, Silvia estreou na Band em 1986, no “Canal Livre”, programa de debates que comandou por alguns anos com muito sucesso. Em 1992, voltou à Band para apresentar um programa diário que levava seu nome, com direito a plateia, sempre mergulhando em tendências de comportamento. Ficou conhecida por abordar os temas mais polêmicos sempre com elegância e espontaneidade. Em 2009, esteve à frente do programa “Dia a Dia". Sua última passagem pela emissora havia sido em 2010, à frente do “Boa Tarde”. “A Band é minha casa. Estou muito feliz em voltar a esta emissora. Sinto que aqui tem meu DNA. Trago muitas e boas memórias”, diz.

2. Maternidade tardia

Silvia Poppovic foi mãe tardia, aos 45 anos. “Estava um dia no Havaí, com meu marido (o endocrinologista Marcello Bronstein), em um baita hotel maravilhoso, e me deu aquela sensação de que a vida exigia mais do que aquilo. De repente olhei para o lado e vi aquela bagunça de crianças no hotel vizinho, aquela vitalidade que estava faltando na minha vida. Pensei: é isso que quero! Foi uma descoberta para mim mesma, queria ser mãe”. Pouco mais de um ano depois, nascia Ana. “E com a Ana nasceu uma nova Silvia. A maternidade foi mais uma reinvenção de mim mesma. Fiquei uma pessoa melhor”.

3. Inspiração materna

O nome da filha, Ana, é uma homenagem à sua mãe, a psicóloga e educadora Ana Maria Poppovic (1928-1983) morta num acidente de automóvel. “Aprendi com minha mãe que nem sempre é possível proteger seu filho das armadilhas da vida. Não dá para estar presente o tempo todo. Então o segredo é educar ensinando seu filho a perceber os perigos e a lidar com eles se defendendo!”.

4. Amante das artes

Arte, arquitetura e decoração são assuntos pelos quais Silvia tem grande interesse. Ela própria decorou seu amplo apartamento em Higienópolis, em São Paulo. Solar e recheada de obras de arte, sua casa - elegante, cosmopolita, contemporânea - é muito elogiada por todos que a visitam. “Gosto de pensar os ambientes de forma geral, e também todos os detalhes, da combinação de cores aos pequenos objetos”, conta. Um dos detalhes que chamam a atenção é sua coleção de pesos de papel, trazidos de várias partes do mundo.

5. Grande anfitriã

Dona de casa caprichosa, Silvia gosta de receber os amigos para jantares em que cuida de cada detalhe. Ela mesma se encarrega dos criativos e elegantes arranjos de flores. Também gosta de trazer taças diferentes dos lugares para onde viaja.

6. Longevidade com saúde

Silvia fez cirurgia bariátrica em 2017 e desde então já perdeu 47 quilos. “Quando minha filha fez 18 anos, reavaliei como queria viver o terço final da minha vida. Sou otimista e acredito que viverei até os 90, 94. Então decidi que precisava emagrecer. Foi por saúde: com a idade, o sobrepeso atrapalha muito. Queria me movimentar melhor, ter mais mobilidade, poder andar sem dor nas viagens que faço, estar bem para mais 30 anos, para ver e curtir meus netos que virão um dia”, conta. “E estou me sentindo muito bem, muito feliz”. Ela faz ginástica funcional para manter a boa forma.

7. Desapego e descobertas

Com o emagrecimento, foi necessário um novo guarda-roupa. Silvia promoveu no ano passado uma limpa em seu closet: reuniu 400 peças plus size, doou uma parte e fez um bazar com o restante. “Foi importante poder propiciar a outras pessoas o prazer de se vestir bem. Porque mesmo vestindo GG, nunca deixei de me preocupar com a elegância, sempre fui vaidosa, sempre gostei de me vestir bem. A vantagem é que agora, magra, tenho uma gama muito maior de opções. Posso usar uma cintura mais marcada, por exemplo, peças mais justas. É importante ressaltar que hoje na meia idade não é mais impedimento, como foi no passado. Não há mais certo e errado. Acredito na moda Ageless. Uma mesma jaqueta pode ser usada por uma menina de 20 ou uma mulher de 40 ou 60 anos. Sem problemas”.

8. Espírito aventureiro

“Viagem para mim e minha família é um valor. É um momento de convivência, descobertas, aprendizados e ensinamentos. Já tive o privilégio de viajar a todos os continentes, de ir muitas vezes a lugares como Nova York, Roma e Paris. Mas já há alguns anos eu e Marcello (Bronstein, seu marido) temos um compromisso de conhecer pelo menos um destino novo por ano. A última foi para o incrível oásis de Siwa, no Egito”, lembra Silvia, revelando seu lado aventureiro. Siwa fica a mais de 500 KM de distância de Cairo, o que obriga a uma viagem de mais de 10 horas entre a costa do Mediterrâneo e o deserto. “Foram dias de isolamento, sem luz elétrica, mas curtindo muito o que outra cultura tem a oferecer”.

9. Mia e Peter

Silvia tem dois gatos: a siamesa Mia e Peter, “um vira lata lindo de morrer”. Na verdade, os dois foram adotados por sua filha, Ana e, desde então, os pets espalham alegria e carinho pela casa. “Gosto de gatos, pois são silenciosos, na deles, mas sempre presentes! Parece que percebem seu estado de espírito e sempre trazem boas energias”, afirma a apresentadora.

10. Mente aberta e paixão pela vida

“Não podemos nos acomodar. Estou sempre me reinventando e tentando consultar os meus sonhos. É preciso ter aquele brilho, vontade de levantar para fazer algo que te entusiasme, te empolgue. Ter vontade de aprender, de descobrir…e de tirar o melhor da vida!!!".

Topo

Logotipo do Grupo Bandeirantes

Rua Carlos Cyrillo Jr, 92 - São Paulo - SP