Michele soube assimilar as críticas, dizem jurados

Paola Carosella, Henrique Fogaça e Erick Jacquin analisam vitória da catarinense na edição de amadores

A grande vencedora da quarta edição do MasterChef Brasil, Michele Crispim, que garantiu o cobiçado prêmio nesta última terça-feira, dia 22, acertou em cheio no "tômpero" e – de acordo com os jurados – mostrou que além de cozinhar com amor também soube absorver muito bem as críticas.

"O cardápio da Michele estava mais equilibrado, muito saboroso e criativo, tinha brasilidade", explica a chef Paola Carosella. "Era um cardápio que parecia de cozinheiro profissional; me surpreendeu isso. A coerência que ela mostrou, a acidez rara, são prova do que ela aprendeu. Estava muito saboroso".

Para a jurada, a nova MasterChef cresceu muito dentro do programa porque estava disposta a encarar as dificuldades, os erros e acertos, sem desistir. "De todas as temporadas, acho que o participante que mais se abriu foi a Michele. Ela começou tímida, duvidava do que fazia, tinha um pouco de medo das coisas. E daí um dia, eu realmente não sei o que aconteceu, mas ela começou a cozinhar melhor, a nos surpreender. E não dá tempo de fazer um curso, então eu acho que ou caiu a ficha ou alguma coisa fez com que ela se sentisse mais confortável nos próprios sapatos", afirma Paola.

O jurado Henrique Fogaça concorda e exalta o fato de Michele ter prestado muita atenção nas críticas a cada prova, o que a fez aprender bastante durante o programa. "A Michele cozinhou melhor que a Deborah, e ela soube ouvir muito bem as críticas e assimilar o que dizíamos. As duas são boas cozinheiras, mas ela teve um menu mais harmonioso, mais bem temperado e isso foi muito importante", disse.

Segundo ele, os chefs não sabiam do voto um do outro, pois cada um teve de avaliar o menu da prova individualmente, o que mostra que o resultado final foi justo. "Achei muito merecido e agora espero que ela continue na profissão e evolua muito", conclui.

Para o chef francês Erick Jacquin, Michele se superou porque conseguiu lidar com todas as exigências das provas sem deixar de colocar amor no que cozinhou. "As provas vão ficando mais difíceis, menos tempo, mais trabalho. Precisa pensar, criatividade, sabor, evolução, harmonização. É muito difícil cozinhar, sabia? Não é suficiente ter talento. Precisa ser muito corajoso e ter coração grande. Quem gosta de cozinhar tem que ter coração grande", disse ele afirmando ainda o quanto gostou dessa temporada. "Foi tudo maravilhoso".

Para quem pretende se inscrever na próxima temporada do MasterChef para amadores, a chef Paola Carosella deu algumas dicas esenciais. "Tem que ter coragem, basicamente, porque você vai se expor a um monte de coisas. Saber cozinhar de verdade, trazer alguma bagagem própria. Tem que ser um cozinheiro que leve a cozinha na alma de verdade. E não alguém que saiba cozinhar três ou quatro coisas porque isso não vai nos enganar".

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário