Estava com a confiança bem abalada, diz Douglas

Após perder 15 minutos na prova de eliminação, o cozinheiro não conseguiu recuperar o tempo perdido

O cozinheiro amador Douglas Holler deu adeus à competição culinária mais famosa do Brasil após não agradar os chefs Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella com sua sobremesa com ingredientes paraenses. Em entrevista ao Portal da Band, o participante revelou que sabia que o seu prato estava inferior à sua capacidade e que poderia ser eliminado pelos jurados após a prova.

"Eu estava com a confiança bem abalada por causa da prova anterior. Então, eu sabia que ia ter que correr um pouco mais por ter 15 minutos a menos. Eu já estava bem atrapalhado, não conhecia os ingredientes, não sabia exatamente como harmonizá-los ou que gosto eles deveriam ter. Quando eu terminei o prato, eu sabia que ele estava bem inferior ao que eu era capaz de fazer", explicou Douglas.

Segundo o cozinheiro amador, ele resolveu apostar em doce em uma tentativa de se destacar e recuperar a confiança. "Quis fazer uma sobremesa por dois motivos: um deles, por ser meu ponto forte – a como a minha confiança estava abalada, eu tentei dar uma equilibrada fazendo algo que eu sabia fazer; e também para apostar em algo diferente, porque imaginei que ninguém fosse fazer doce, então teria um diferencial", disse.

Douglas também contou que o seu principal problema na prova foi o bacuri. "Eu não sabia exatamente a textura dele, com o que ele combina ou que gosto ele tem. Foi o que me pagou de surpresa. Claro, fui eu quem escolheu o ingrediente, mas foi difícil de trabalhar. Se eu pudesse voltar atrás, provavelmente teria feito um prato salgado, teria feito um peixe com uma crosta de aviú servido com algum vegetal", afirmou.

"De repente até com leite de castanhas, que já vi que o Thiago Castanho já fez no livro dele, como acompanhamento de peixe. Talvez não ficasse tão bom quanto os pratos dos outros participantes, que entendem mais do Norte ou que já tiveram contato com os ingredientes, mas talvez eu não ficasse entre os piores", completou.

O gaúcho disse ainda que conseguiu realizar alguns de seus objetivos ao entrar no MasterChef Brasil. "Claro que eu queria ganhar, mas a minha primeira meta era ficar entre os 15 melhores. Então, eu alcancei ela. E eu aprendi muito aqui: aprendi com os participantes durante as provas, aprendi com os chefs, com as críticas, com os comentários e com as sugestões. Aprendi comigo mesmo porque eu ficava lendo e estudando coisas novas. Então, por mais que tenha sido curta, foi uma experiência ótima", contou.

"Percebi que preciso confiar mais em mim, porque isso me atrapalhou bastante essas incertezas de saber se eu sou capaz ou não. Então, foi lindo. Quero treinar bastantes pratos salgados porque, por mais que eu goste de fazer doces – é óbvio que eu vou continuar a fazê-los –, minha meta é abrir um estúdio que tenha entradas, pratos principais e sobremesas. Quero ser um cozinheiro mais completo", finalizou.

Chef Thiago Castanho apresenta ingredientes do Pará; veja fotos da prova:

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário