Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 19 de junho de 2017 - 16h15

Carrie Fisher tinha cocaína e heroína no organismo

Relatório apontou que atriz provavelmente usou drogas 72h antes de morrer
Carrie Fisher durante premiação em Los Angeles / Mario Anzuoni/Reuters Carrie Fisher durante premiação em Los Angeles Mario Anzuoni/Reuters

Carrie Fisher tinha vestígios de cocaína, heroína e ecstasy no organismo quando morreu subitamente em dezembro, de acordo com um relatório de autópsia divulgado nesta segunda-feira, dia 19.

O relatório não precisou que efeito a cocaína e as outras drogas podem ter causado em seu organismo.

Na sexta-feira, dia 16, autoridades legistas afirmaram que a morte da estrela da franquia Star Wars tinha sido provocada por apneia e outras causas.

Carrie morreu aos 60 anos de idade em 27 de dezembro, quatro dias depois de sofrer uma parada cardíaca em um voo de Londres a Los Angeles.

Ela tinha um longo histórico de vício em cocaína desde os anos 1980 e sofria de transtorno bipolar.

O relatório de autópsia e de toxicologia revelado nesta segunda-feira apontou que a estrela provavelmente usou cocaína cerca de 72 horas antes de adoecer.

Leia também:
Carrie Fisher teria papel central em novo Star Wars
Livro de Carrie Fisher figura entre mais vendidos