Tamanho de fonte
Atualizado em sexta-feira, 19 de maio de 2017 - 16h48

Mulher de Cornell diz que suicídio é inexplicável

Vicky Cornell contou que o marido estava tomando remédio prescrito
Chris Cornell foi encontrado morto em  hotel / Mark Blinch/Reuters Chris Cornell foi encontrado morto em hotel Mark Blinch/Reuters

A mulher do vocalista do Soundgarden, Chris Cornell, disse nesta sexta-feira, dia 19, não acreditar que o cantor teve a intenção de se matar, sugerindo que os remédios para ansiedade que ele estava tomando podem ter desempenhado um papel em sua morte.

Cornell, de 52 anos, foi encontrado morto no banheiro de seu quarto de hotel em Detroit na noite de quarta-feira, dia 17, após tocar na cidade com a banda de grunge. Inicialmente, o escritório legista do condado de Wayne determinou a causa da morte do cantor como suicídio por enforcamento.

"O que aconteceu é inexplicável, e eu tenho esperança de que relatórios médicos adicionais vão fornecer mais detalhes", disse Vicky Cornell em comunicado. "Eu sei que ele amava nossos filhos e que ele não iria machucá-los tirando sua própria vida intencionalmente".

Vicky ainda afirmou que o cantor, um dependente em recuperação, estava tomando o medicamento sob prescrição Ativan, que trata ansiedade e insônia. Um dos efeitos colaterais listados é que o remédio pode aumentar a depressão e causar problemas de julgamento.

Kirk Pasich, advogado da família, disse que eles ficaram perturbados com a conclusão de que Cornell "conscientemente e intencionalmente tirou sua própria vida" antes de serem liberados os resultados de testes de toxicologia. "A família acredita que se Chris tirou sua vida, ele não sabia o que estava fazendo, e que drogas ou outras substâncias podem ter afetado suas ações", comentou. A fabricante do Ativan, a Pfizer Inc, não comentou imediatamente.

Leia também:
Morre Chris Cornell, vocalista do Soundgarden
Colegas e amigos lamentam a morte de Chris Cornell