Eu vou morrer um Guerreiro, afirma Miguel Benedetti

Segurança se diz arrependido de alguns de seus comportamentos, mas que entrou no Exathlon também para aprender

O segurança Miguel Benedetti foi o quarto eliminado do Exathlon Brasil, após a decisão do público na madrugada desta sexta-feira. Considerado muito forte por seus colegas Guerreiros e pela equipe de Heróis, o participante mais novo do programa teve problemas de convivência por sua falta de maturidade.

"Eu me arrependo sim de algumas atitudes minhas. Talvez eu tenha ido À Deriva por causa delas. Diariamente, eu tive comportamentos que talvez não fossem adequados em grupo e isso atrapalhou um pouco. Mas meu desenvolvimento [nas provas] foi sempre bom. Acho que o que atrapalhou mesmo foi meu comportamento", disse em entrevista ao Portal da Band.

"Vou sentir muita falta do dia a dia com os Guerreiros, vou levar cada um deles no coração. Cada um, eu absorvi um pouco de conhecimento. Aqui foi um grande aprendizado para mim e eu vou sentir muita falta disso. Aprendi que a gente depende um do outro – até porque a gente foi colocado em situações extremas, longe da família, com uma dieta que era muito restritiva... Eu me dei muito bem ali com a equipe. Algumas coisas saíram de controle, mas era porque eu estava aprendendo", contou o segurança.

"Eu entrei no programa para aprender também e não só para ganhar. Eu aprendi bastante coisas, falhei em várias, pedi que falassem para mim onde eu estava errando e eu acho que essa é a graça da vida: é aprender nos erros. Aprendi que um depende do outro diariamente. Seja emocionalmente, ou seja durante as provas. Porque tem coisas que a gente domina, tem coisas que eles dominam", completou.

Durante a saída de Miguel na Arena, Sul Rosa passou todo o tempo segurando a sua mão; em troca, o eliminado deixou um presente para a corredora após a sua saída. "Ela foi uma pessoa que de início eu não me dei bem e ela também não se deu bem comigo, mas com o tempo ela foi me conhecendo. A gente acabou pegando um elo muito grande, até mesmo durante as competições, durante os conselhos. Ela era uma pessoa muito próxima a mim e a gente tem um elo muito grande. Acabei deixando uma camiseta azul do exército para os Guerreiros, pois ela representa nosso time também", disse.

Durante a competição, Miguel revelou que Pedro Scooby e Marcel Stürmer eram seus principais adversários na equipe de Heróis. "No início do programa, eu ganhei a maioria das batalhas contra o Scooby. Agora, sempre que eu enfrentava, eu perdia algumas e ganhava outras. Já o Marcel, que no começo eu ganhei bastante, eu vim perdendo muito, mas no detalha. O meu desempenho no circuito não mudou, o que mudou foi a finalização. Como eu perdi bastante para o Marcel, eu tinha vontade de disputar mais vezes cm ele para deixar aquela sensação de que eu também consigo vencer", afirmou.

Por fim, o segurança conta que não tem nenhuma torcida individual no reality show, apesar da proximidade maior com algumas pessoas. "Eu vou torcer sempre para os Guerreiros. Foram pessoas que eu considerei como uma família ali durante esse mês, durante as batalhas, o sofrimento, as noites mal dormidas, os conselhos, enfim. Eu sempre vou torcer pela equipe. Eu estou saindo do programa, mas eu vou morrer um Guerreiro", finalizou.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário