Foliões produzem mais de mil toneladas de lixo em Salvador

Segundo empresa responsável pela limpeza da cidade, houve um aumento de 14% com relação a 2017

Carnaval é sinônimo de festa, música e animação, mas também de muito lixo nas ruas. Cidades que recebem um grande número de pessoas durante os dias de folia – como Rio de Janeiro, São Paulo e Recife, por exemplo – travam uma batalha ingrata contra a sujeira produzida pelos foliões. E em Salvador não é diferente. 

De acordo com um levantamento divulgado pela Limpurb, empresa responsável pela limpeza, 1.377,70 toneladas de lixo foram recolhidas das ruas da capital baiana. Esse número, no entanto, pode aumentar ainda mais, mesmo com o fim do Carnaval, pois alguns turistas costumam estender a estada em Salvador após as festividades oficiais.

"Até o momento já temos um aumento de 14% de resíduos gerados este ano em comparação ao ano passado, nos circuitos da folia. Isto é reflexo do sucesso do Carnaval. Temos mais gente na rua e, consequentemente, temos mais produção de resíduos. Mas nossas equipes estão sempre a postos para garantir a limpeza. Começamos por volta das 3h e no início da manhã tudo já estava limpo para mais um dia de festa", ressalta Kaio Moraes, presidente da Limpurb.

Para atender moradores e os quase 800 mil turistas que chegaram a Salvador entre os dias 3 e 12 de fevereiro, foi montado um esquema especial com mais de três mil colaboradores recrutados e cerca de 200 equipamentos de limpeza utilizados durante os dias oficiais de Carnaval. Além disso, quase três mil banheiros químicos e 72 contêineres climatizados foram instalados ao longo dos circuitos Barra-Ondina, Campo Grande e Pelourinho.

Entretanto, nem todo o planejamento foi capaz de evitar que as pessoas ainda fizessem xixi na rua em vez de usar os sanitários instalados pela cidade. 

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário